Ibraop participa de reunião sobre as perspectivas do SINAPI para os próximos 5 anos


As perspectivas do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI) para os próximos 5 anos foram apresentadas em reunião realizada no dia 3 de dezembro, no auditório Paulo Freire da Universidade Caixa Econômica Federal (UCC), em Brasília (DF). A auditora do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), Adriana Portugal, participou da reunião também como diretora administrativa do Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas (Ibraop).

Segundo ela, na ocasião, foram apresentados os resultados do primeiro ciclo do SINAPI e, posteriormente, as perspectivas para os próximos 5 anos de aferições do sistema. A meta da Caixa é a de que o SINAPI possua referências técnicas adequadas, transparentes, atualizadas e úteis, “que continue contribuindo para a elaboração de orçamentos de obras públicas pelos setores público e privado”. Ênfase foi dada aos cuidados na formação de referências de custos e preços regionais nos órgãos públicos, perpassando pela adoção da “consulta pública”, experiência bem sucedida na Caixa, e pela indicação de um responsável técnico para tratar do assunto.

A Caixa também apresentou seu projeto de ‘Modelos Paramétricos’, em que procura desenvolver uma ferramenta de apoio à tomada de decisão em PPPs e concessões para acompanhar a tendência normativa que vem se firmando ao longo dos anos quanto à parametrização de custos e preços na avaliação inicial da concepção e viabilidade desses tipos de empreendimentos. Segundo a Caixa, a ideia é contratar uma empresa para dar continuidade à elaboração dos modelos paramétricos e estabelecer uma equipe permanente para o refinamento e a atualização periódica dos modelos.

“O Ibraop esteve presente no evento para, além de conhecer os novos rumos quanto ao SINAPI, manifestar o apoio à divulgação das práticas no tocante ao seu uso referencial”, observou Adriana Portugal.

SINAPI – O Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil é utilizado nas análises dos custos de obras da construção civil. A administração pública deve atender às determinações do Decreto nº 7.983/2013, estabelecendo referências desses custos, e da Lei das Estatais (13.303/2016).

Veja Também

PUBLICIDADE E NÚMERO DE CONCORRENTES SÃO DETERMINANTES PARA VANTAGEM EM PROCESSO LICITATÓRIO DE OBRAS

Quando sete ou mais empresas concorrem em um processo licitatório, maior o desconto e, consequentemente, a vantagem de contratação...

Continue lendo

TCE E CREA-PR firmam nova parceria para o controle das obras públicas

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-PR) e o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) firmaram,...

Continue lendo

Ibraop discute projeto de Sistema Nacional de Controle de Obras Públicas

O projeto para a elaboração de um sistema capaz de monitorar obras públicas no país foi discutido e avaliado...

Continue lendo

Workshop rodoviário da Agetop deve reunir mais de 1500 pessoas

Mais de 1.500 participantes são esperados no Workshop Rodoviário 2017, coordenado pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop),...

Continue lendo

Resolução aprovada pelo TCE-GO adota as diretrizes de OT do Ibraop

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO) estabeleceu parâmetros técnicos mínimos para projetos básicos de obras públicas a serem...

Continue lendo

Certificados do Enaop 2017 já estão disponíveis

Os participantes do Encontro Técnico Nacional de Auditoria de Obras Públicas – o Enaop 2017 – já podem ter...

Continue lendo

AGENDA DE REUNIÕES – 2018

Para o curso dos trabalhos, foram programadas as seguintes reuniões presenciais para este exercício de 2018: I – Grupo...

Continue lendo

ACORDO DE COOPERAÇÃO E ATOS ADMINISTRATIVOS

Acordo de Cooperação Ibraop x IRB   ATO 02/2013 Dispõe sobre a elaboração, divulgação e capacitação de procedimentos para...

Continue lendo

TRIBUNAIS DE CONTAS ASSOCIADOS AO IBRAOP

  Desde 2006, o Ibraop tem firmado Termos de Cooperação Técnica com Tribunais de Contas, tendo como objetivo principal...

Continue lendo