RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS TEM DESTAQUE EM PAINEL DO XVIII SINAOP


O manejo adequado dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) resultantes da atividade doméstica e comercial é um dos grandes desafios das administrações públicas municipais. Por isso, o tema teve destaque na programação de quinta-feira (8) durante a realização do XVIII Simpósio Nacional de Auditoria de Obras Públicas, no Centro Cultural Ariano Suassuna do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), em João Pessoa.

Em painel presidido pelo conselheiro do TCE de Rio Grande do Sul, Marco Peixoto, representantes de quatro Cortes de Contas apresentaram os respectivos cenários de seus Estados e município quando o assunto é RSU. Os dados e números mostram que ainda há um longo caminho a ser percorrido para que sejam alcançadas as metas previstas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/10).

Os auditores Lúcia Patrício, Rômulo Araújo e João César Menezes, do TCE da Paraíba, apresentaram estudo que demonstra a situação ainda precária do tratamento dos Resíduos Sólidos no Estado. De acordo com os resultados da auditoria operacional, 191 dos 223 municípios paraibanos ainda fazem uso de lixões.

A situação no Rio Grande do Sul é consideravelmente melhor, uma vez que os lixões foram erradicados. 100% dos municípios do Estado já destinam os resíduos a aterros sanitários, públicos ou privados. Mas, segundo os auditores Clauber Bridi e Flávia Burmeister Martins, ainda há desafios a serem enfrentados, como por exemplo os custos de manutenção dos serviços.

O TCE de Minas Gerais também tem feito um trabalho sistemático junto aos 853 gestores municipais, no sentido de viabilizar as melhores práticas no tratamento dos RSU. A auditora Valéria Cristina Gonzaga trouxe números do Programa Estruturador de Qualidade Ambiental do Estado, demonstrando que 58% da população urbana do Estado é atendida por destinação regularizada de RSU.

O auditor Fernando Bernardes mostrou uma abordagem diferenciada do TCE do Mato Grosso do Sul, que optou por um trabalho orientativo, em parceria com o Ministério Público, após levantamento da situação real dos municípios no tema em questão. E a evolução é visível, com 70% da população atendida de forma adequada em 2018.

Por fim o auditor Fernando Morini apresentou a situação peculiar do município de São Paulo, com seus mais de 12 milhões de habitantes. Ele ressaltou que o grande desafio é captar recursos financeiros do resíduo que hoje está sendo aterrado e implantar um processo mais sustentável.

Organizado pelo Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas (Ibraop)  e o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), o XVIII SINAOP conta com o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), do Instituto Rui Barbosa (IRB), do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-PB) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Paraíba (SEBRAE-PB).

Veja Também

PUBLICIDADE E NÚMERO DE CONCORRENTES SÃO DETERMINANTES PARA VANTAGEM EM PROCESSO LICITATÓRIO DE OBRAS

Quando sete ou mais empresas concorrem em um processo licitatório, maior o desconto e, consequentemente, a vantagem de contratação...

Continue lendo

TCE E CREA-PR firmam nova parceria para o controle das obras públicas

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-PR) e o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) firmaram,...

Continue lendo

Ibraop discute projeto de Sistema Nacional de Controle de Obras Públicas

O projeto para a elaboração de um sistema capaz de monitorar obras públicas no país foi discutido e avaliado...

Continue lendo

Workshop rodoviário da Agetop deve reunir mais de 1500 pessoas

Mais de 1.500 participantes são esperados no Workshop Rodoviário 2017, coordenado pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop),...

Continue lendo

Resolução aprovada pelo TCE-GO adota as diretrizes de OT do Ibraop

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO) estabeleceu parâmetros técnicos mínimos para projetos básicos de obras públicas a serem...

Continue lendo

Certificados do Enaop 2017 já estão disponíveis

Os participantes do Encontro Técnico Nacional de Auditoria de Obras Públicas – o Enaop 2017 – já podem ter...

Continue lendo

AGENDA DE REUNIÕES – 2019

Para o curso dos trabalhos, foram programadas as seguintes reuniões presenciais para este exercício de 2018: a – Grupo...

Continue lendo

ACORDO DE COOPERAÇÃO E ATOS ADMINISTRATIVOS

Acordo de Cooperação Ibraop x IRB   ATO 02/2013 Dispõe sobre a elaboração, divulgação e capacitação de procedimentos para...

Continue lendo

TRIBUNAIS DE CONTAS ASSOCIADOS AO IBRAOP

  Desde 2006, o Ibraop tem firmado Termos de Cooperação Técnica com Tribunais de Contas, tendo como objetivo principal...

Continue lendo